17 de dez de 2011

Need You Now

- Não, não, não! - digo a mim mesma inúmeras vezes, mas volta e meia estou pensando em você de novo, maldizendo as horas em que você não esta aqui. Lembranças perfeitas do que ainda sequer tivemos enfeitam as paredes do meu quarto, não sei quantas garrafas tem aqui, mas estou tonta o suficiente pra saber que não são poucas. Encaro o telefone, já digitei tantas vezes o teu numero que mesmo alta consegui decorar. Já passa da uma da manha e uma pergunta ainda me assombra, tira meu sono, pior, tira meu sossego.


- É cedo demais, coração! – Mas ele não me escuta, bate forte só com a possibilidade de você esta pensando em mim também. Meus olhos se voltam para a porta e eu desejo com todas as forças te ver entrar e dizer pra mim todas as coisas que eu quero te dizer, mesmo que ainda não seja a hora. Ainda resta uma dose no fundo da garrafa, mas beber seria um erro, seria render-me diante a vontade louca que causa uma guerra dentro de mim. Se eu bebesse, seria mais fácil apertar o ‘chamar’ mas ainda é cedo demais.

A lembrança de você não sai de mim – teu toque leve se torna onipresente e tudo mais parece tão pequeno, isso é bom, mas machuca. As duvidas se dividem em deixar de te querer e te querer mais, há essa hora a primeira opção esta perto de não existir e a segunda é um caminho sem volta. Então me perco aqui, a ponto de desistir e assumir que eu preciso de você agora.

3 comentários:

♪ Dαyαnє ♪ disse...

Oi Jessie,

Acho que todos experimentamos - ou experimentaremos -uma situação como essa; em que nosso coração está numa espécie de limite da ausência dele, tendo uma crise de abstinencia de sua presença pode-se dizer.
E saber que ele está a distância de um telefonema é mais do que apenas tentador... é quase torturante.

Como sempre, belas palavras Jessie. De verdade; é sempre impressionante ;)

~> Beijusss...;*

Louise Berdine disse...

"A lembrança de vc não sai de mim" , é de mim também não sai e doí :/
Não sei se com vc tbm acontece isso, mas quando eu estou deitada na cama pronta pra dormir vem as lembranças me incomoda, tipo eu posso passar o dia todo sem pensar nele mas quando eu coloco a cbç no travesseiro, começo a me lembrar de tudo.

Louise Berdine disse...

É, o infeliz que eu gosto faz a mesma coisa, ele vem me iludindo, vai embora como se eu não existisse. É nesse vem e vai que eu sofro, mas eu cansei, definitivamente eu cansei de precisar dele, prometi pra mim mesma 2012 eu vou gostar de outra pessoa, posso até me iludir, repeti a historia e tals mas com ele não. Chega!

ei, Jessie se vc quiser me contar sua historia, me manda um e-mail louiseberdine@hotmail.com
Beeeeeeijos